CEASA: PREÇOS DE FRUTAS E VERDURAS SOBEM NO CEARÁ COM SECA E QUEDA NA PRODUÇÃO

 
A seca deixou frutas, verduras e hortaliças mais caras para o consumidor no Ceará
. Os preços na unidade das Centrais de Abastecimento do Ceará (Ceasa), por exemplo, chegaram a dobrar em um ano, reflexo da queda na produção das fazendas do estado e da compra de produtos agrícolas colhidos em lugares cada vez mais distantes, segundo os vendedores.

É o caso da cenoura, que agora vem de Minas Gerais. A caixa de 25 quilos subiu de R$ 10 para R$ 25 em pouco mais de um ano na Ceasa. Batata, repolho e chuchu também estão chegando do Sudeste. O preço alto do frete deixa os produtos ainda mais caros.

“O comerciante paga o preço. É o jeito. Não podemos deixar a mercadoria faltar'', diz o comerciante Carvan, da Ceasa. “Eu fazia compras aqui na Ceasa com R$ 600. Hoje eu gasto R$ 1.700 com as mesmas coisas que eu levava há dois anos'', diz a comerciante Josefa Castro.

Até mesmo as frutas que costumam ser fartas no Ceará estão mais caras. A caixa de 20 quilos do mamão, segundo os comerciantes, custava R$ 10 no início de 2012 sai por R$ 20. O melão passou de R$ 15 para R$ 30 no mesmo período.

O jerimum, que ainda é produzido no estado, sai por R$ 1,80 o quilo. ''A produção do Nordeste tem declinado devido às poucas chuvas. A preocupação do pequeno produtor ou do agronegócio agora é se planejar para mais um período sem chuva'', diz Odálio Girão, analista de mercado da Ceasa.

Alguns produtos precisam vir de outros países porque a produção nacional não dá conta do abastecimento como a cebola holandesa e do alho argentino. O aumento de preços assusta o consumidor. O alho está R$ 11 o quilo.

Fonte: G1 CE
Reacções: 
item